Pocket-lint é suportado por seus leitores. Quando você compra por meio de links em nosso site, podemos ganhar uma comissão de afiliado. Saber mais

Esta página foi traduzida usando IA e aprendizado de máquina.

(Pocket-lint) - Durante a última semana do governo Trump, os EUA declararam que a Xiaomi é uma "empresa militar comunista chinesa" (CCMC). Agora, sob o governo Biden, os EUA retrocederam, removendo formalmente a Xiaomi de sua lista negra comercial.

O Tribunal Distrital dos EUA para o Distrito de Columbia emitiu recentemente uma ordem que cancela a designação do Departamento de Defesa (DoD) de Xiaomi como CCMC, o que teria impedido os americanos de investirem no gigante chinês da tecnologia. Lembre-se de que a Xiaomi processou os EUA em fevereiro e, em março, ganhou uma liminar. Um juiz chamou a lista negra de "arbitrária e caprichosa".

Então, em maio, Xiaomi e o DoD anunciaram repentinamente que haviam chegado a um acordo. Entre esse acordo e a última decisão do tribunal, Xiaomi parece fora da mira do governo dos Estados Unidos. Em resposta a esta notícia, Xiaomi enviou à Pocket-lint a seguinte declaração :

“A Empresa [Xiaomi] é grata pela confiança e apoio de seus usuários globais, parceiros, funcionários e acionistas. A Empresa [Xiaomi] reitera que é uma corporação aberta, transparente, de capital aberto, operada e administrada de forma independente. A empresa [Xiaomi] continuará a fornecer produtos e serviços eletrônicos de consumo confiáveis aos usuários, e a construir incansavelmente produtos incríveis com preços honestos para permitir que todos no mundo tenham uma vida melhor por meio de tecnologia inovadora. ”

Quando é a Black Friday 2021? As melhores ofertas da Black Friday nos EUA estarão bem aqui

O governo Biden ainda não anunciou se está considerando suspender as sanções de Trump contra a Huawei , outra gigante chinesa de tecnologia que não conseguiu fazer negócios com empresas americanas. Também está enfrentando acusações de que é uma ameaça à segurança nacional.

Escrito por Maggie Tillman. Originalmente publicado em 27 Maio 2021.