Esta página foi traduzida usando IA e aprendizado de máquina.

Quando os EUA impediram as empresas de trabalhar com a Huawei - vista por muitos como parte da guerra comercial com a China - um dos grandes nomes que surgiram foi o Google. Com uma possível proibição de acesso futuro ao Android, a atenção voltou-se para o plano B da Huawei - seu próprio sistema operacional.

Em um relatório do Global Times, um jornal de língua inglesa na China, o HongMeng OS da Huawei - possivelmente chamado Ark OS quando se trata de mercado - foi demonstrado e mostrou ser 60% mais rápido que o Android.

Levaríamos essa figura com uma pitada de sal: não há nada para qualificar como essa velocidade é medida e exatamente o que isso pode significar em termos do mundo real.

O que talvez seja mais interessante são os nomes que parecem estar se envolvendo. O Global Times diz que a Oppo e a Vivo - dois grandes fornecedores na China - "enviaram equipes para testar o novo sistema". Atualmente, todos esses fabricantes usam o Android do Google com seus próprios produtos e serviços empilhados por cima.

Entre essas três empresas - Huawei, Oppo, Vivo - você tem uma fatia enorme do mercado chinês e dos mercados globais, especialmente na Ásia. Também há um relatório do China Daily que o HongMeng OS já vendeu mais de 1 milhão de dispositivos, que estão sendo distribuídos para testes.

É relatado que o HongMeng OS funciona com todos os aplicativos Android, mas inclui opções aprimoradas para a proteção de dados pessoais. Diz-se também que a Huawei está incentivando os desenvolvedores de aplicativos a usar sua própria AppGallery, para fornecer uma avenida alternativa à Play Store do Google.

A Huawei garantiu o segundo lugar nos embarques globais de smartphones - apenas a Samsung mantém a liderança - e parece que a empresa chinesa não tem intenção de suspender a proibição dos EUA. O desenvolvimento de uma alternativa ao Android parece bem encaminhado. Embora isso possa ser rapidamente aceito na Ásia, convencer os mercados ocidentais a mudarem para uma plataforma diferente será muito mais um desafio.

Atualmente, a Huawei só tem suporte do Google até agosto - e com o Huawei Mate 30 em andamento, serão alguns meses interessantes.