Esta página foi traduzida usando IA e aprendizado de máquina.

A TCL foi ao Twitter para anunciar que não produzirá mais hardware da marca BlackBerry a partir de 31 de agosto deste ano.

O anúncio foi feito pouco mais de três anos depois que o fabricante de tecnologia chinês assumiu o nome da marca e as licenças para a construção de smartphones BlackBerry.

Isso ocorreu após a decisão da BlackBerry de encerrar o desenvolvimento de hardware internamente, depois de anos lutando para competir com os smartphones e iPhones Android.

Desde então, a empresa lançou o KeyOne , Key2 e Key2 LE, bem como alguns telefones menos populares com tela de toque, mas parece - pelo menos por enquanto - que os telefones BlackBerry estão mortos. Novamente.

Na nota, afirma que "a Comunicação TCL não tem mais direitos para projetar, fabricar ou vender novos dispositivos móveis BlackBerry", mas continuará a oferecer suporte a dispositivos existentes com atendimento ao cliente e serviço de garantia até 2022.

As palavras usadas quase soam como se não fosse a decisão da TCL de encerrar o contrato de licença de marca, mas isso não está explicitamente declarado, e pode ser que a TCL tenha optado por não revisar por um dos muitos motivos: talvez uma falta de popularidade.

A TCL se recusou a comentar mais sobre isso quando solicitamos mais informações.

Embora não tenha sido dito nada oficial até agora, houve rumores sobre os aparelhos BlackBerry da TCL terminarem por um tempo. Afinal, não há um telefone novo há algum tempo.

O último lançamento do BlackBerry da empresa foi o Key2 LE, que foi lançado em agosto de 2018 e chegou ao mercado em outubro de 2018.

Se isso significa que a licença dos produtos BlackBerry passará para um novo fabricante, não sabemos. Mas é bem possível que essas usinas de produtividade de bolso equipadas com QWERTY estejam mortas novamente.

Por enquanto, pelo menos, é um adeus ao BlackBerry. Tem sido emocional.