Esta página foi traduzida usando IA e aprendizado de máquina.

(Pocket-lint) - Dizem que uma imagem vale mais que mil palavras. Bem, que tal duas fotos de comparação lado a lado?

O Samsung Galaxy S10 + foi lançado em março, meses após o Huawei Mate 20 Pro, e, embora esses carros-chefe custem o mesmo, um telefone parece ter uma experiência de câmera muito melhor quando se trata de capturar fotos com pouca luz.

Em nossa análise do Mate 20 Pro , achamos a câmera sensacional. Excelente qualidade, funcionalidade rápida e ótimos recursos combinam-se com o que descrevemos como o melhor do negócio. Até fotos com pouca luz mantinham mais detalhes do que qualquer concorrente que vimos - embora o Google Pixel 3 certamente tenha conquistado essa coroa com o recurso Visão Noturna. A S10 +, por outro lado, possuía uma câmera de baixa luminosidade em seus testes .

Onde dissemos anteriormente que a Samsung era razoável com pouca luz, atualmente sentimos como se a empresa não estivesse perseguindo o desempenho com pouca luz de forma tão agressiva quanto seus rivais. Se você precisar de mais alguma prova disso, confira a foto abaixo. A da direita, pelo Mate 20 Pro, nos lembra Night Sight, pois qualquer escuridão na foto desapareceu, com nitidez e granulação mínimas detectadas.

Aqui estão as fotos na íntegra:

Huawei

A imagem à esquerda, no entanto, é claramente uma foto noturna, com um céu enegrecido nas costas, sombras em primeiro plano e uma pitada de desfoque. É claro que o Mate 20 Pro tenta tirar suas fotos com pouca luz para ficar mais brilhante sem afetar negativamente a qualidade. Agora, devido à preferência pessoal, você pode realmente preferir o S10 +, que parece relutante em clarear as imagens.

A Huawei disse à Pocket-lint que acha que sua tecnologia de seis meses pode derrotar o S10 + "com as mãos para baixo com pouca luz", e que espera que as pessoas fiquem empolgadas em ver o que está por vir na próxima semana. Lembre-se de que os novos P30 e P30 Pro serão revelados no dia 26 de março em um evento em Paris .

Escrito por Maggie Tillman.